Matheus Costa traz o seu consumismo para as suas ilustrações

shopkola_rock_905

A maioria dos ilustradores que passam pelo Cherryouth, começaram a desenhar desde muito cedo. Mesmo que seja por diversão, ou então como passatempo, os traços se aprimoram com o tempo. Desde bem pequeno, o catarinense Matheus Costa já coloca no papel o que sempre gostou de fazer, e ele contou para a gente que foi há quatro anos que pegou o dom da coisa, e tornou profissional a a sua mania de ilustrar:

001“Profissionalmente, comecei bem mais tarde, em 2010 quando trabalhava em uma produtora de vídeos e estava sentindo falta de algo em que eu pudesse ser mais criativo, então a partir daí retornei a uma graduação de design que já havia começado há uns anos atrás. Nessa mesma época, comecei um processo autodidata de estudar mais desenho e  conhecer mais ferramentas para ilustração digital, como meio de suprir essa necessidade de criar”, conta Matheus.

Hoje, com 28 anos, ele diz que o apoio dos familiares e amigos sempre foi bem constante, e o surgimento de novas amizades que trabalham na mesma área, o ajudaram com críticas que fizeram o seu trabalho evoluir.

Allright_005_905 Starman_006_905

Carregada de elementos que consome e temáticas que gosto de abordar e pesquisar, as ilustrações de Matheus Costa podem provocar reações totalmente distintas umas das outras, porque – segundo ele – cada trabalho é diferente do outro, mas por trabalhar na maioria das vezes com cores vivas, elementos pop e personagens caricatos, ele acredita que ela seja mais divertida e provoque esse tipo de reação nas pessoas.

totem_905“Eu defendo muito a ideia de sempre estar produzindo trabalhos autorais, acredito que é através deles que se consegue trabalhos comerciais, pois nesses trabalhos não se tem limitação alguma, não existe pressão, nem prazo”, explica Costa. “No meu caso, a ilustração Hot Mexican foi uma das primeiras ilustrações que fiz a um nível profissional, e deu um retorno bom. Mas a série Dangerous Girls, que também é um trabalho autoral, é sem dúvida a que fez mais sucesso na rede e rendeu vários trabalhos que sempre vinham com essa referência“.

Como forma de inspiração, Matheus diz que o Pinterest é a sua grande fonte para criar. Além disso, ele admira muitos artistas como Mcbess, além da temática que se identifica: “Admiro a forma que ele consegue de transformar tudo em produto sem perder a identidade. Também gosto muito de artistas clássicos como Escher, Salvador Dali, e outros mais atuais, Grand Chamaco, Brosmind, Angelique Houtkamp, entre outras coisas. A internet está cheia de artistas talentosos, e a cada dia surgem mais, então essa lista de referências e artistas que admiro vai crescendo e se renovando sempre”, finaliza Costa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s