4 anos do Cherryouth: a história e os meus agradecimentos

Dia20

Finalmente o grande dia chegou! São quatro anos completados hoje, quase mil postagens publicadas e 600 mil visualizações em todo o seu período. O objetivo de criar o Cherryouth foi o mesmo desde o seu início, mesmo que o seu conteúdo tenha sofrido alterações em todos esses anos: levar informação para o público jovem.

Para começar, o nome Cherryouth vem da junção de duas palavras em inglês: cherry, que significa “cereja” e é uma das minhas frutas favoritas, e young, que diz respeito ao público que queríamos atingir, porque se traduz como “juventude”. Em março de 2010, eu e minha amiga, Natalia Ramacciotti, pensávamos em criar um blog, porque gostávamos (e ainda gostamos) de conversar sobre as coisas que acontecem no dia-a-dia. Pensamos em transformar tudo isso em texto, principalmente aqueles links que mandávamos pelo MSN, as conversas que tínhamos até as três da madruga e amigos que vinham e mandavam alguma coisa pelo Orkut.

Pode parecer uma queimação de filme gigantesca, mas essa foi a primeira cara que o Cherryouth teve. Um blog bem pessoal e com logotipo feito no Power Point – porque eu não sabia como mexer no Photoshop na época! Mais vergonhoso ainda eram as nossas fotos, uma de cada lado do header.

CY1

Cinco meses depois, Nat Ramacciotti resolve sair do blog porque não estava conseguindo o conciliar seu lado pessoal com a escrita, e “pediu um tempo”. Eu resolvi continuar tocando o projeto pra frente, porque gostava do que fazia. Aliás, sempre gostei de escrever e tinha uma facilidade enorme para desenvolver meus pensamentos desde pequeno.

CY3No final de 2010, o Cherryouth ganhou essa carinha aqui do lado esquerdo: muitas cores no seu banner e o seu primeiro logotipo marcante: um balão de fala com uma cereja dentro. As pautas mudaram completamente, se voltaram para abordar os quatro cantos da cidade de São Paulo e ainda me arrisquei a falar sobre política! Tinham até uns gifs animados na lateral direita do layout anunciando as postagens em mais destaque.

Em 2011, apareceram alguns colaboradores. Por algumas vezes, o Cherryouth chegou a ter a sua grande turma formada em 11 pessoas. Gente que conheceu o site através das redes sociais e que se voluntariaram para trazer conteúdo. A minha maior preocupação era que todas as pessoas soubessem o que estavam escrevendo, e a rotina dessas com as pautas que elas mesmo escreviam, tinham uma proximidade muito grande, e elas puderam trazer muita coisa interessante para os leitores.

CY4

O Carlos Henrique, o Daniel Borges, Gregory Martins, Raphael Maia, Lincoln Coronel, Lukas Andreozzi, Pedro Oliveira, Kabe Rodriguez, Leonardo Martinez, Heitor Müller e Vitor Leão foram as pessoas que caminharam junto com o Cherryouth, e agradeço pela disposição e o interesse que tiveram em fazer parte da equipe. 

No ano seguinte, o Cherryouth ganhou esse layout aí em cima. Um logotipo mais simples e que – pela primeira vez – mostrava as iniciais do nome do site, ideia que foi usada até o início deste ano.

Depois desse template, reformulei com força a cara do blog. Apaixonado por ilustrações e animações, percebi que vários sites de cultura apresentavam o trabalho de muitos caras bem competentes no que faziam, mas na maioria das vezes, o autor da obra mal sabia que teve o seu trabalho divulgado. Foi então que notei que faltava algo, principalmente conversar diretamente com o artista para saber o que ele estava sentindo enquanto fazia aquilo, e como ele teve inspiração para compor a sua obra.

CY5

Foi a mudança mais radical que implementei no blog e a que deu mais certo. O Cherryouth entrou em todas as redes sociais e é conhecido hoje como um blog que transmite o lado criativo e voltado ao design, internet e fotografia. Artistas de fora do Brasil também participam das postagens, seguidores gringos no Instagram também acompanham o que os colegas brasileiros estão criando.

Marcas – através de ações realizadas no Cherryouth, em parceria com algumas agências de publicidade – também já passaram pelo blog. Eu não poderia deixar de homenagear o site, porque foi através dele que muitas oportunidades também se abriram para mim, em relação ao meu lado profissional. Graças ao blog e a grande amizade que tenho, pude trabalhar com o colega André Sobreiro, na sua maravilhosa Presenza Comunicação, onde fiz um pouco de cada coisa e pude aprimorar alguns conhecimentos, e aprender outros. Também fui convidado pelo amigo Diego Octávio a fazer parte da equipe do seu programa, o “Ao Cubo“, que deve estrear no mês de maio, na TV Aparecida.

Claro que não poderia esquecer de agradecer ao Marden Robles, que me deu força em algumas artes – principalmente na postagem especial  das Spice Girls que fiz no ano passado. Ele também é o responsável a me ajudar na compra do domínio, e a me convencer de que ser .com.br seria bem melhor e me traria ainda mais visibilidade, do que continuar sendo .wordpress.com.

O pequeno CY cresceu muito nos últimos quatro anos. Ainda pode ser pequeno em relação aos números, mas nos leitores mais fieis, ele tem o tamanho ideal de conteúdo, e é realmente o que mais importa para mim. Agradeço pela companhia de todos vocês! Continuem por aqui!

Anúncios

Um comentário sobre “4 anos do Cherryouth: a história e os meus agradecimentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s