Designer Paulo Oliveira conta que a ilustração faz parte do seu triângulo amoroso

Por Raphael Ezonne

As imagens que aparecem nesta postagem podem ser reproduções de outros sites e Cherryouth não reivindica nenhum crédito para si, a não ser que especificado. Se você (ou sua empresa) possui os direitos de alguma imagem e não quer que ela apareça em Cherryouth, favor entre em contato e ela será prontamente removida sob critério de avaliação.

foto-cherry-youth-2

É isso mesmo o que você leu no título lá em cima! O designer paulistano Paulo Oliveira realmente vive um triângulo amoroso, isso porque como designer, ele usa e abusa da ilustração no seu tempo livre, e simplesmente manda muito bem! O cara faz ilustrações incríveis, sem perder o bom humor.

Com 33 anos, Paulo já é um cara que tem seu talento reconhecido, pois já tem uma exposição que exibe um pouco dos seus traços. A exposição chamada “Cidade Nanquim“, aborda uma temática urbana dentro de uma obsessão de fotografar postes e antenas. No VoidClub, em Guarulhos, é possível dar uma olhada no que ele é capaz de fazer e os 10 cartazes em nanquim com o que envolve a cidade à sua visão, suas idéias, olhares e opiniões expressadas em preto e branco.

Acesse o site de Paulo Oliveira

734417_741478815881642_637206603_n

“Desde criança, acredito que aos 7 ou 8 anos de idade, eu lembro que já desenhava. Sempre tive o hábito de rabiscar qualquer coisa se estivesse com papel e lápis na mão. Então, sempre encarei como um hábito e não um talento. Todos os meus cadernos de escola tinham desenhos, eu acho”, conta Paulo. aos risos.

Mas como todo ilustrador sabe, o início é sempre complicado, apesar de ter o apoio de amigos e familiares. As pessoas não entendem a ilustração como uma profissão: “A primeira vez que me pagaram por um desenho, fiquei pensando: ‘p*ta que pariu! É uma das coisas que eu mais gosto de fazer na minha vida e estão me pagando! Obrigado Deus!‘”, diz Oliveira.

Clique aqui e conheça a Fanpage de Paulo Oliveira

Buscando referência a todo momento, Paulo molda as coisas que acha que ficariam bem com determinada proposta e em determinada ocasião: “Não tem como mensurar tamanha importância de cada desenho que faço, mesmo quando é freela, todos tem uma importância particular”.

E aos que começam, ele indica muito estudo. Pesquisar muito sobre o que quer desenhar e frequentar exposições: “Ler sobre, buscar referência em tudo que se vê. Procurar se reinventar a cada desenho. Procurar possibilidades de mostrar seu trabalho e o ideal e hoje é a internet. Use e abuse das redes sociais sem massagem”, finaliza.

1393924_741478602548330_1196852697_n

1452284_741478789214978_286868491_n

cidade_nanquim_nova_temporada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s