Preço da fama na juventude pode ser caro na fase adulta

Uma adolescência feita de sucesso e dinheiro significa uma maturidade problemática?

Não é de hoje que os jovens, principalmente as crianças, estão fazendo sucesso no meio artístico. Cada vez mais cedo, eles estão ganhando oportunidades de mostrar o seu talento, e em muitas dessas vezes, fazem da maneira mais correta. Eles aprendem mais cedo a cantar, dançar, atuar e até apresentar, mas muitos especialistas alertam que essa fama precoce que necessita de um maior investimento, tanto físico como mental, pode atrapalhar no crescimento destes, fazendo com que cresçam como adolescentes e adultos problemáticos.

Impulsionados pelos próprios pais que na maioria das vezes já têm participação na mídia de alguma forma, os filhos alcançam sucesso através destes e ainda assistem um avassalador sucesso devido à Internet, que dissemina pelo mundo as suas músicas e trabalhos.

Os últimos a alcançarem esse sucesso são os cantores mirins Willow Smith e Justin Bieber. No caso do último, suas apresentações foram vistas no YouTube por Scooter Braun, que eventualmente se tornou seu agente. Braun levou Bieber para Atlanta, Geórgia, para conversar com Usher e logo ele assinou um contrato com a Island Records, onde começou sua carreira profissional. Uma semana mais tarde, Justin teve a oportunidade de cantar para Usher, que lhe recomendou para uma audição com Antonio L.A. Reid na Island Records, que o contratou para a gravadora em outubro de 2008. Justin Timberlake também estava interessado em assinar com Bieber, mas ele eventualmente assinou com Usher. Justin e sua mãe se mudaram então para Atlanta, onde também moram Usher e Braun, para apoiar sua carreira.

Mas a bela garotinha de dez anos, Willow Smith (foto acima) também não fica muito atrás. Filha do ator Will Smith e irmã do ator Jaden Smith, ela já foi indicada ao Annie Award em 2010 pela dublagem de “Madagascar”, indicada também ao Young Artist Awards em 2008 pela atuação no filme “Eu Sou a Lenda” ganhando o mesmo prêmio no ano seguinte pela atuação em “Kit Kittredge: An American Girl”. Willow lançou em outubro de 2010, seu primeiro single “Whip My Hair”, de álbum ainda sem nome.

Justin Bieber alcançou o sucesso após ter sido visto pelo seu atual agente em uma apresentação sua em um vídeo no YouTube.

Outros jovens não tiveram a mesma sorte quanto ao estrelato. Eles fizeram sucesso em sua juventude, mas conforme os anos foram passando, a vida pode não ter sido tão grata à eles, ou vice-versa. Para muitos pais, colocar o filho numa escola de artes e leva-lo para testes na TV é uma forma de garantir seu futuro e proporcionar a ele uma vida de fama, bons contratos, muito dinheiro, carros e mansões, mas não deu certo na carreira dos artistas que veremos a seguir.

Gary Coleman, protagonista da série “Minha Família é uma Bagunça” (chamado de Arnold em uma exibição na TV aberta), na década de 80, ficou impossibilitado de crescer devido a uma disfunção renal, e parecia ser uma criança de oito anos de idade até o último ano da série, em 1986. Tornou-se astro da noite para o dia, aparecendo em comerciais e estrelando em 1982 o seu próprio desenho animado “Andy, o Anjinho da Guarda“.

Com o fim da série, Gary passou a fazer pequenas aparições em séries ou filmes, até que foi sendo esquecido pelos produtores e pelo público. Tentou suicídio duas vezes e mais tarde processou seus pais e empresário por roubarem todo o seu dinheiro. Em Los Angeles, esmurrou uma fã que insistentemente queria seu autógrafo, foi preso e processado. Em 2001, falido e com dívidas, arrumou um emprego como segurança de shopping e faleceu em 2010, vítima de traumatismo craniano após uma queda em sua casa.

Após o término do seu seriado que fez sucesso na década de 80, a participação de Gary foi sendo cada vez mais reduzida, até ter problemas financeiros.

Outro caso que evidencia o preço da fama é o do ator Brad Renfro, que morreu vítima de overdose, em 2008. Ele parecia ter uma carreira promissora após sua atuação no filme “O Cliente”, quando tinha 13 anos. Seu papel de estreia lhe deu prestígio para atuar em vários outros filmes, e ainda chegou a ser indicado como uma das 30 pessoas mais famosas do mundo antes de 30 anos pela revista People. A partir de 1998, começou a ter uma série de problemas com a lei devido ao uso de drogas, chegando a interromper sua carreira, fazer tratamento de desintoxicação e passar um tempo na prisão.

Brad Renfro foi descoberto aos 10 anos de idade por uma diretora de elenco que estava buscando um rosto novo para a nova produção do diretor Joel Schumacher “O Cliente”, que seria rodado em breve. Viajou para a Califórnia para fazer os testes e foi aceito. O filme estreou em 1994, sendo seu primeiro papel e que lhe deu prestígio para atuar em vários filmes depois, mesmo não tendo nenhuma expêriencia anterior em atuação.

E um ator que não poderia ser esquecido, mesmo sendo esquecido por outras vezes em versões do filme “Esqueceram de Mim”, é Macaulay Culkin. Vivenciou uma trajetória que poucos atores infantis de Hollywood conseguiram escapar, porque primeiro obteve a glória: cravou seu nome na história do cinema como o mais bem-sucedido representante dessa categoria de ator em todos os tempos. Depois, o esquecimento:  Macaulay sumiu das telas a partir de1994, enquanto seus pais se engalfinhavam numa batalha por sua fortuna de 17 milhões de dólares. A muito custo, o ator garantiu na Justiça o direito de cuidar de seu dinheiro.

Já a carreira continuou na mesma, ainda que ele jurasse que seu exílio do cinema era voluntário. Em 2003, aos 23 anos, parece enfim desabrochar para a idade adulta ao ousar gravar o filme: Party Monster, uma produção um tanto alternativa que enfoca os excessos do mundo clubber nova-iorquino. Tudo no filme, dos figurinos às performances do elenco, é marcadamente gay. E o personagem de Macaulay não foge à regra, pois baseado em fatos reais ele passa a ser o famoso Michael Alig das noites nova-iorquinas nos anos 90m que hoje se encontra na cadeia por ter assassinado seu companheiro de apartamento à marteladas. Macaulay, inclusive, até foi à prisão visitar o verdadeiro Michael Alig, em laboratório para caracterizar por completo seu personagem.

Em 2004, Culkin foi preso por posse de 17.3g de maconha e de duas substâncias controladas, chamadas Alprazolame clonazepam.

Macaulay Culkin preferiu se afastar pra vontade própria da carreira que tanto dava mérito à ele, e começou a fazer trabalhos alternativos e de custo inferior. Sempre é encontrado com drogas e vira frequentemente manchete de jornais por conta disso.

Por: Raphael Ezonne

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s