E com a palavra, o criador do Facebook

Mark Zuckerberg, o fundador da rede social, acumulou quase sete bilhões de dólares em seis anos, e é eleito a personalidade do ano

Sim, este é Mark Elliot Zuckerberg, nascido em White Plains, no estado de Nova York. Programador e empreendedor norte-americano, quando estudante da Universidade Harvard, fundou a rede social Facebook, da qual atualmente é diretor geral.

É interessante analisarmos que muitas pessoas possuem mais potencial que outras quando se trata de criações. Mark, tem apenas 26 anos e foi eleito a personalidade do ano pela revista Time, que analisou vários pontos relacionados ao Facebook, para nomeá-lo como uma figura (ou uma das) mais importantes do ano de 2010.

Mark Zuckerberg nasceu de uma família judaica e foi criado em Dobbs Ferry, uma aldeia do Condado de Westchester, Nova Iorque. Iniciou em programação na sexta série. Junto de seu amigo Adam D’Angelo, trabalharam em diversos projetos juntos, incluindo um MP3 Player artificialmente inteligente que aprendia os hábitos musicais de seus usuários. Embora ainda na escola secundária, os dois foram abordados por diversas empresas para comprar o MP3 Player, chamado Synapse, mas eles recusaram.

Analisando o site Facebook e o índice de pessoas que o acessam por algum motivo, foi levado em consideração para eleger Mark Zuckerberg como a personalidade do ano, pela revista TIME.

Zuckerberg frequentou a Universidade Harvard matriculado na turma de 2006. Se tornou membro da fraternidade Alpha Epsilon Pi. Em Harvard, Zuckerberg continuou criando seus projetos. Um antigo projeto, Coursematch, permitia aos estudantes verem listas de outros alunos matriculados nas mesmas classes. Um projeto seguinte, Facemash.com, foi um site de votações de fotos similar ao Hot or Notexclusivo para estudantes de Harvard. Uma versão do site foi ao ar por quatro horas antes do acesso à internet de Zuckerberg ser revogado pelos administradores oficiais. O departamento de serviços de computador levou Zuckerberg ao Conselho de Administração de Harvard, onde ele foi acusado de infringir regras de segurança na internet e de privacidade e propriedade intelectual.

Em 2008, a Forbes o relacionou como o mais jovem bilionário do mundo, com fortuna de 1.5 bilhão de dólares, e este ano, a Time o elegeu como a personalidade do ano.

De cada 12 pessoas do planeta, uma tem conta no serviço. Para a revista Time, são credenciais suficientes para torná-lo a “personalidade do ano”. Segundo os editores da revista, “ao conectar meio bilhão de pessoas e mapear as relações sociais entre elas, ele alterou a forma como todos vivemos nossas vidas”.

Eduardo Saverin ajudou, e muito para que seu amigo (e agora ex-amigo) Mark, pudesse manter o site do Facebook em pleno funcionamento. Brasileiro, 28 anos, é o co-fundador do site, e é dono de uma boa participação do Facebook: o valor de suas ações ultrapassam 1,1 bilhão de dólares americanos (que seria o valor de 5% das ações da empresa)

Por trás do sucesso de Mark Zuckerberg, está a ajuda de um ex-amigo brasileiro, Eduardo Saverin. Zuckerberg criou o Facebook, mas não tinha dinheiro. Foi Eduardo que pagou as despesas para por o Facebook no ar e também as primeiras viagens que Zuckerberg fez para construir as parcerias que tornaram o Facebook um negócio bilionário.

A amizade dos dois, construída em Harvard, nos Estados Unidos, se desfez quando Zuckerberg tentou afastar o brasileiro da sociedade. Eduardo foi à Justiça e garantiu o direito de possuir 5% das ações da empresa, o que também o transformou em um milionário.

Toda essa história está no filme “A Rede Social”, que recebeu seis indicações para o Globo de Ouro e tem tudo para também ser indicado ao Oscar.

“A rede social”, história não autorizada sobre a criação do site Facebook, foi eleito o melhor filme do ano pela Associação dos Críticos de Cinema de Los Angeles (Califórnia), informou a entidade em comunicado. O filme também obteve os prêmios de melhor diretor (David Fincher, compartilhado com Olivier Assayas, por “Carlos”), melhor roteiro (Aaron Sorkin) e melhor trilha sonora (Trent Reznor e Atticus Ross, empatados com Alexandre Desplat, por “O escritor fantasma”). Colin Firth levou o prêmio de melhor ator por seu papel em “The ,ing’s speech”, enquanto Kim Hye-ja ganhou como melhor atriz por “Mother”.

Por: Raphael Ezonne

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s