mulher tem mais colágeno na pele do que deveria

Conheça a história da britânica, e veja o resultado da aplicação de colágeno nos artistas

Claro que a imagem acima não se remete ao problema (ou talvez solução) que a britânica Susan Johnson passa. O caso dela é um pouco complicado e raro de se encontrar: afinal, quem não gostaria de ter uma pele mais jovem e que escondesse a sua verdadeira idade? Susan tem 61 anos, com a pele de uma mulher vinte anos mais jovem que ela. O caso foi revelado pelo jornal “Daily Gazette” de seu país, e que explica que a britânica sofre de uma rara doença chamada esclerodermia.

Esclerodermia é uma doença crônica rara, caracterizada pelo depósito excessivo de colágeno na pele ou outros órgãos. O tipo localizado da doença não costuma ser fatal. Pelo excesso de colágeno na pele, as regiões que possuem juntas e dobras, como os dedos, são impossibilitados de dobrarem por completo, mantendo estas esticadas ou com algum grau de angulação.

Mas, embora o distúrbio deixe Johnson com pele firme no rosto, mãos, pescoço e pés, ele também causa fortes dores e o inchaço de suas juntas.

“Não tenho nenhuma pele solta nos meus braços, então carregar sacolas ou fazer compras é muito doloroso, e não tenho forças neles para me levantar da banheira. […] Mesmo descascar uma batata pode ser difícil, já que os meus dedos são dobrados.’’ disse ao jornal.

Susan diz que seu marido dá apoio ao tratamento que ela faz, e ainda brinca que ele diz que está casado com uma moça de 30 anos.

Segundo Johnson, suas dores se intensificam ainda mais quando o clima está úmido ou frio. Ela conta que descobriu a doença no último inverno, quando a temperatura caiu e seus dedos começaram a formigar, além de ficarem azulados e avermelhados. Inicialmente, os médicos acharam que Johnson sofria do fenômeno de Raynaud, distúrbio que impede que o sangue alcance os dedos das mãos e dos pés com a mudança de temperatura.

Para tratar a doença, que afeta três vezes mais mulheres do que homens, Johnson recorre diariamente a esteroides, remédios para circulação sanguínea e imunossupressores. Não há causas conhecidas para a esclerodermia, mas sabe-se que ela não é contagiosa nem hereditária e que costuma se manifestar entre os 25 e os 55 anos. Por enquanto, ela não tem cura, apenas um tratamento que alivia os seus sintomas.

O caso é sério, mas o Cherryouth ficou curioso. Como será que os artistas mais experientes da TV, ou os que foram, ficariam se tivessem um teor de colágeno na pele que não oferecessem riscos à sua saúde? Comparamos como eles são agora e como ficariam caso fizessem uma aplicação. Veja como ficou:

A imagem da direita não ajuda muito, mas evidencia os efeitos da idade e as plásticas já feitas. Mas mil vezes a versão colágeno.
Nossa querida Dercy Gonçalves. Po*#a, apesar da idade, ela tinha os traços bonitos.
Pedro de Lara não tinha lá sua beleza ressaltada, mas mesmo assim com uma aplicação de colágeno, eu não pegava.
Tarcísio Meira ficou com cara de boneco, literalmente. Tem uns que é preciso assumir a idade mesmo.

Por: Raphael Ezonne

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s