Bullying: o mal da nova geração

Crianças e adolescentes estão cada vez mais sofrendo caladas em ambientes públicos. O que fazer?

Infelizmente o bullying (termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo) é um assunto que está em constante evidência na mídia. Abordar de assuntos importantes e que são extremamente necessários de divulgação para quem sofre disso, e de informação para quem nunca ouviu falar ou que não tinha conhecimento do nome disso, são muito importantes para que pessoas que possam aderir a causa, ajudem as pessoas que sofrem deste mal que está se tornando cada vez mais frequente entre nossos jovens. Indivíduos que sofrem com agressões, tanto verbais quanto físicas, estão se abrindo mais com seus pais e responsáveis sobre o acontecido, e dando oportunidade para quem não tem coragem de assumir por medo ou outras circunstâncias de deixar seu desabafo.

Podemos dizer que existem vários tipos de bullying, por exemplo entre colegas de uma mesma escola ou de aluno entre professores,ou entre vizinhos, no trabalho etc.Classificando ainda, existe o bullying direto que é aquele que se caracteriza entre meninos, principalmente, com agressões e todo tipo de violência física. Já o bullying indireto é aquele com agressões verbais mais comuns entre meninas e crianças pequenas onde acontecem fofocas e exclusões de um membro do grupo.

Grandes grupos de pessoas humilham pessoas aparentemente inocentes pelo modo delas serem, e estas se isolam para não serem abusadas novamente

Muitas das pessoas que foram discriminadas moveram ações judiciais contra os agressores e alegaram imposição intencional de sofrimento emocional e como coadjuvante a escolas também foram responsabilizada pelos atos cometidos.

O bullying direto, que acontece principalmente entre garotos, acontece com frequência nas escolas

Em alguns casos a Justiça já tomou suas devidas providências e ainda em um caso específico, obrigou os pais de um aluno que praticou o bullying contra uma garota a pagar uma indenização de R$ 8.000.

O apresentador Serginho Groisman está envolvido nessa causa e participa de uma campanha contra esse tipo de assédio: a ideia surgiu quando o garoto Felipe que estava na plateia do programa Altas Horas, exibido semanalmente na Rede Globo, teve a coragem de dizer que sofria o bullying por seus colegas de classe, por ter a aparência diferente das outras: o chamavam de ‘orelhudo’. Na campanha, Serginho alerta para as consequências psicológicas que os atos de bullying podem causar e incentiva as conversas entre pais e filhos, amigos e  diálogos na escola onde o jovem estuda. No segundo vídeo, você pode ver o drama (por mais que seja levado na brincadeira) que o estudante está sofrendo.

É necessário se pensar bem antes de julgar uma pessoa, seja pela orientação sexual dela, pela aparência física ou por qualquer circunstância que seja relevante na pessoa. Indivíduos são iguais entre si, e o respeito entre cidadãos é fundamental para se viver pacificamente em uma sociedade.

Por: Nat Ramacciotti

Anúncios

3 comentários sobre “Bullying: o mal da nova geração

  1. Sinceramente. Esse negócio de Bullying é uma palhaçada da minha impondo uma definição de um tipo de comportamento que sempre existiu. Quando eu era criança, na escola, na rua, todo mundo botava apelido, xingava, batia, e o que acontecia? Eu revidava, seja com palavra ou batia tbm, mas na maioria das vezes ignorava, e sempre fui baixo pra minha idade (só cresci mesmo entre os 14 e 16 anos) e fraco. Ou seja, sempre existiu tal coisa, só que na sociedade de hoje as crianças são superprotegidas, não pode entrar em contato com vírus e bactérias ( estranho a explosão de casos de alergia? Não! As crianças não tem anticorpos), não brincam na terra, não bebem água da torneira, não podem levar palmada dos pais (como se desse pra conversar com uma criança de 1 ou 2 anos), não podem ouvir um não (e tudo tem que ter explicação) não podem passar por nenhum tipo de sofrimento como se os sofrimentos não fizessem parte da vida e nos ajudassem com a vida adulta, cheia dos mesmos, e não ajudassem na formação do caráter. Bem, só minha opinião.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s